Pai é uma pequena cidade pertencente a província de Mae Hong Son, oeste da Tailândia. Nos últimos anos, a cidade se tornou uma espécie de Mecca dos mochileiros e morada para vários expatriados, um refúgio da loucura de Bangkok ou da excessiva oferta de passeios e esquemas turísticos de Chiang Mai, distante 3 horas e exatas 762 curvas do distrito.

Como uma típica pequena cidade de vale, Pai é quente, aconchegante e rodeada de belas paisagens. Nela, artistas, pintores, músicos e farangs se misturam especialmente a partir do final de tarde, quando as barracas de comida invadem as ruas e os turistas voltam dos passeios diários – trekking, cachoeiras e campos de elefantes são alguns dos exemplos. Por causa dessas características, Pai também atrai as mais variadas espécies de rastas, hippies e aspirantes a culturas alternativas. Dreadlocks, gente descalça no meio da rua, branquelos vestindo suas calças estampadas com elefantes (assunto que merece um estudo separado) e echarpes sob o desgraçado sol de 32 graus, enfim, toda uma aura levemente forçada que, sorte minha, só é menos absurda por estarmos na baixa temporada.

O centro constitui-se de poucas quadras, todas cheias dos mais diferentes cafés, bares, restaurantes, pousadas e, claro, barracas de comida. Os preços são bem acessíveis – comidas de rua a partir de 20, restaurantes começando em 40 e quartos privados em 100 baht. É possível passar um dia aqui, tranquilamente (hospedagem, duas a três refeições e uma ou outra coisa no mercado), com algo entre 350 e 400 baht, o que se aproxima de uns, 30, 35 reais. Como o álcool será o definidor do seu total gasto em Pai, com cervejas e drinks que começam em 50 baht, evitei colocar essa variável na conta acima. Porém, sinceramente, só gasta muito dinheiro aqui quem realmente quer esbanjar.

Dito isso, deixo aqui umas pequenas dicas sobre o que consegui absorver de Pai.

Alugue uma moto

Os arredores de Pai estão disponíveis pela bagatela de R$ 8 o dia
Os arredores de Pai estão disponíveis pela bagatela de R$ 8 o dia

A melhor forma de conhecer Pai e seus arredores é em cima de uma moto com câmbio automático. Por 100 baht, uns R$ 8, você tem 24 horas pra passear pelo vale e conhecer alguns belos lugares como as cachoeiras de Pambok e Mhor Phaeng, a vila chinesa de Santichon, o pequeno cânion e as fontes de águas termais. O mais importante: se você nunca pilotou uma moto, já venha treinado. A quantidade de turistas com ataduras e pernas avariadas é considerável. Caso não se sinta confiante, é possível alugar mountain bikes e fazer quase todos os passeios de uma forma mais tranquila.

Prestigie as barracas de comida na rua

A Colina dos Hambúrgueres, como vocês podem ver, cobra um pouco a mais pelo passeio
A Colina dos Hambúrgueres, como vocês podem ver, cobra um pouco a mais pelo passeio

Como em toda a Tailândia, não deixe de comer na rua. Espetinhos, samosas, cogumelos, sanduíches, pad thais, comida indiana, curries, fruit shakes, pizzas e outras comidas ocidentais, chás, cafés, insetos e as mais variadas e bizarras frituras estão presentes aqui. Os preços começam em 10 baht, uns R$ 0,80, e podem chegar aos 120 baht, especialmente para as comidas de farang como sanduíches, pizzas e coxinhas de frango com catupiry (mentira, eles não tem coxinha aqui).

Comece a noite cedo

Caipirinha muito boa no Almoust Famous por QUATRO REAIS. Chupa essa manga, Brasil.
Caipirinha muito boa no Almoust Famous por QUATRO REAIS. Chupa essa manga, Brasil.

Não posso dizer como a cidade funciona em alta temporada, mas agora, em agosto e com os militares no poder, as coisas não vão muito longe. Muitas lojas abrem apenas a partir das 17:00 h e não passam das 22:00. Os restaurantes, assim, como as barracas de comida na rua, também dificilmente passam desse horário. Programe-se pra começar tudo mais cedo, especialmente a parte que inclui beber. Os poucos bares que ficam abertos até mais tarde – por padrão, eles fecham meia noite – pagam uma pequena quantia aos policiais para permanecerem assim, e até eles não duram muito. Além disso, a cerveja será quase o dobro do preço, que aqui pode chegar a quase 120 baht a garrafa, uma fortuna quando falamos em sudeste asiático.

Não reserve hospedagem

R$ 12 por uma cabana no centro da cidade com banheiro privado tá é louco de bão
R$ 12 por uma cabana no centro da cidade com banheiro privado tá é louco de bão

Especialmente na baixa temporada, não reserve um lugar pra ficar. Há várias boas hospedagens não listadas em sites como o TripAdvisor, Booking ou Hostelworld. Pegue um lugar relativamente dentro da cidade e dali planeje sua próxima estadia. Pra me contrariar, eu acabei reservando uma tenda a 7 km da cidade, logo ao lado dos campos de elefantes, e foi ótimo. No entanto, é sempre trabalhoso ir e voltar do centro, especialmente com algumas Changs na cabeça. Tenha isso em mente se você quer aproveitar um pouco de tudo.

Faça algum curso bacana

 Khao Soi, a delícia das delícias
Khao Soi, a delícia das delícias

Se tiver tempo, inscreva-se em alguma atividade por aqui. Há inúmeros cursos de ioga, massagem, cozinha tailandesa, muay thai e até mesmo de permacultura. Se tiver interesse, há grandes possibilidades de você descolar um lugar na faixa apenas por ajudar na construção ou limpeza de alguma propriedade por umas 3 horas / dia. Talvez seja o combustível ideal pra mandar seu trabalho à merda.

Publicado por Eduardo Z.

“That's one thing Earthlings might learn to do, if they tried hard enough: Ignore the awful times and concentrate on the good ones."

Participe da discussão

2 comentários

  1. Oi Eduardo,
    Adorei seu post. Resta agora apenas uma pergunta: Este lugar existe? Se esse lugar existisse, seria seguro? Se esse lugar existisse, choveria muito em julho?

    Estamos com o roteiro praticamente fechado para a Tailandês, porém, só agora tive conhecimento desse lugar encantador, encontrando assim o seu conteúdo. Abraços,

    1. Oi, Margarida!

      Sim, ele existe e é seguro! Choverá um tanto em julho, já que é época de monções, mas nada que vá abalar a sua viagem. Qual é o seu roteiro por lá?

      Até!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: