“O ódio no Brasil”, por Leandro Karnal

Na minha experiência de professor, as salas de aula são divididas em grupos incomunicáveis e mutuamente hostis, que se agrupam por renda, forma física, melanina e opção [sic] sexual em grupos mais ou menos definidos na sala. Não se falam, não se gostam, riem quando um entra e debocham uns dos outros. Eis que um professor dá nota baixa e se torna um inimigo de todos. Imediatamente, as panelas de pressão rompem o lacre, e todos dão as mãos contra aquela besta do apocalipse que os prejudicou. E um emenda a fala do outro, porque agora eles tem o que odiar em comum. E tendo alguém a quem odiar em comum, nós somos todos irmãos. É muito difícil amar em comum. Nós tentamos, nós nos esforçamos, mas é difícil amar. Agora, odiar é uma delícia.

Publicado por Eduardo Z.

“That's one thing Earthlings might learn to do, if they tried hard enough: Ignore the awful times and concentrate on the good ones."

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: